Dialeto Gaúcho


Dicionário de Regionalismos do Rio Grande do Sul, de Zeno e Rui Cardoso Nunes, editado por Martins Livreiro.

  • ancinho = rastilho, rastelo, ciscador, catador de folhas;

  • apanhar = surra, espancar;

  • aprochegar = aproximar-se, chegar perto;

  • aspa = chifre;

  • aspaço / aspada= chifrada;

  • atucanado ou tuquiado = atrapalhado, cheio de problemas;

  • avio = isqueiro;

  • baita = grande, crescido; (Se usa em outras partes do Brasil);

  • bagual = Excelente, Bom, Ótimo ou cavalo xucro;

  • bergamota = tangerina;

  • bochincho = festa informal;

  • bodoque / funda = estilingue;

  • bolicho = boteco, botequim;

  • borracho = bêbado;

  • branquinho = beijinho (doce)(porém sem côco);

  • brigadiano = policial da Brigada Militar (corporação equivalente à Polícia Militar);

  • cacetinho = pão francês;

  • campear = procurar, ir em busca de algo;

  • cancheiro = pessoa que tem experiência e/ou habilidade em alguma coisa;

  • capaz = de jeito nenhum, não, de forma alguma;

  • carpim = meia de homem;

  • casamata = banco de reservas (futebol);

  • chapa = radiografia ou dentadura;

  • chavear = trancar com a chave;

  • china = mulher do peão;

  • chinoca = guria que se pilcha de bota e bombacha ao invés do vestido de prenda, prenda que passou dos 30 anos;

  • chinaredo = bordel; onde fica o chinaredo;

  • chinchado = cheio, satisfeito, farto;

  • chinelagem = expressão para comportamento despojado, decadente, brega ou desajeitado, ou ainda ato ou objeto de gosto duvidoso ou popular (no sentido de brega). No Nordeste a expressão "fuleragem" tem o mesmo significado;

  • chinelão = pessoa que pratica a chinelagem;

  • colorado = torcedor do Sport Club Internacional;

  • cuecão = ceroula;

  • cuia (para mate) = parte da planta 'lagenaria vulgaris' usada para o chimarrão;

  • cupincha = camarada, companheiro, amigo (Em outras regiões essa expressão também é usada no mundo do crime, sendo sinônimo nesse caso a comparsa, capacho ou jagunço);

  • cusco = cachorro, cão pequeno;

  • entrevero = mistura, desordem, confusão de pessoas, briga;

  • faceiro = alegre, contente;

  • fatiota = terno;

  • folhinha = calendário;

  • gaudério = homem do campo (gaudério não é sinônimo de gaúcho, como erroneamente dizem);

  • goleira = baliza (campo de futebol);

  • gremista = torcedor do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense;

  • guaipeca / guadéra = cachorro vira-lata;

  • guaiaca = espécie de pochete de couro;

  • guampa = chifre;

  • guri = menino, garoto (Se usa em outras partes do Brasil);

  • guria = menina, moça (Se usa em outras partes do Brasil);

  • inticar = provocar;

  • lancheria = lanchonete;

  • laço = apanhar, surra;

  • lomba = ladeira;

  • macanudo = forte, encorpado, usado tanto para pessoas quanto para objetos;

  • melena = cabelo;

  • minuano = vento vindo do sul que trás as massas gélidas do Pólo Sul;

  • negrinho = brigadeiro (doce);

  • pandorga = papagaio, pipa;

  • parelho = liso, homogêneo;

  • patente = vaso sanitário;

  • pebolim = totó, fla-flu;

  • pechada = batida, trombada (entre automóveis);

  • pedro e paulo = dupla de policiais militares;

  • peleia = briga;

  • piá = guri, menino;

  • pila = palavra regional que dá nome a moeda nacional, no caso o Real (ex: 10 pila, 25 pila - usa-se sempre no singular);

  • pingo ou matungo = cavalo;

  • pousar = dormir na casa de outrem;

  • prenda = mulher do gaúcho;

  • quebra-molas = lombada;

  • rabicó = gominha de cabelo;

  • remolacha = beterraba;

  • roleta = catraca;

  • rótula = rotatória, redondo;

  • sestear = dormir depois do almoço;

  • sinaleira = semáforo;

  • talagaço = golpe;

  • taura = o mesmo que macanudo;

  • tchê = interjeição que se encaixa em praticamente qualquer frase ou situação (ver "Interjeições típicas");

  • terneiro = bezerro;

  • topinho = laçinho; laço;

  • trava = freio, breque;

  • tri = prefixo que significa "muito" (ex.: trilegal, tribonita), ou simplesmente "legal" (ex.: é tri);

  • veranear = passar o verão;

  • vivente = criatura viva, pessoa, indivíduo;

  • xavante = torcedor do Brasil de Pelotas;

  • xirú = índio ou caboclo. Na língua tupi quer dizer "meu companheiro";

  • xis = Hamburguer;

  • aguentar o tirão = suportar as consequências ou uma situação difícil;

  • andar pelas caronas = andar mal, estar em dificuldade;

  • arrastar a asa = enamorar-se;

  • bem capaz = ênfase na negação;

  • botar os cachorros = xingar, ofender alguém;

  • dar com os burros n'água = dar-se mal, ser mal sucedido;

  • deitar nas cordas = fazer corpo mole;

  • de rédeas no chão = entregue, submisso, apaixonado;

  • de valde = de balde, em vão;

  • de vereda = imediatamente, já;

  • é tiro dado e bugio deitado = acertar de primeira; ter certeza do que faz;

  • entregar as fichas = ceder, concordar;

  • estar com o diabo no corpo = estar furioso, insuportável;

  • faceiro que nem gurí de calça nova = muito contente, alegre;

  • faceiro que nem gordo de camisa nova = o mesmo do item anterior;

  • faceiro que nem égua de dois potrios = o mesmo do item anterior;

  • frio de renguear cusco = frio tão intenso que pode deixar um cachorro mancando;

  • índio velho = camarada;

  • ir aos pés = fazer as necessidades na patente;

  • juntar os trapos = casar, viver junto;

  • lamber a cria = mimar o filho;

  • lagartear = ficar sem fazer nada, ao sol, de preferência comendo bergamota;

  • matar cachorro a grito = estar sem dinheiro, estar na miséria, viver com dificuldade;

  • me caiu os butiá dos bolso = ficar de queixo caído, espantado;

  • meter a viola no saco = calar-se, desistir, acovardar-se;

  • morar para fora = morar no campo (fazenda, sítio ou vila pequena);

  • na ponta dos cascos = pisando em ovos;

  • no mato sem cachorro = em dificuldade, em apuros;

  • olhar de cobra choca = olhar dissimulado;

  • se aprochegar = chegar mais próximo, se acomodar;

  • sentar o braço = surrar, espancar, esbofetetar, bater;

  • terneiro guacho = tomador de leite;

  • tunda de laço = apanhar;

  • Bah! = Puxa!, Nossa!, Que coisa! - é primariamente, uma interjeição de espanto, mas pode ter outros usos, como, por exemplo, mostrar hesitação ao iniciar uma frase;

  • Tchê! = Expressão utilizada para enfatizar a oração. Assim como Bah pode ser utilizado para muitas coisas, como por exemplo, Tchê, ganhei na loteria!;

  • Mas que barbaridade! = Que coisa! - é uma interjeição que indica indignação;

  • Capaz? = É mesmo?, Imagina! - indica espanto e dúvida ao mesmo tempo quanto ao que a pessoa acabou de ouvir;

  • Bem Capaz!! = Com uma entonação típica, significa "De jeito nenhum";

  • Que tri! = Que legal!

Ultimas noticias
Notícias Recentes

Copyright © 2014 | Desenvolvido por: OnLine