Copyright © 2014 | Desenvolvido por: OnLine

Legislativos (bem) mais enxutos

Sou um critico intransigente do “tamanho do Estado”. Cada vez mais, o contribuinte é chamado a pagar essa conta, recebendo em troca, cada vez menos. A máquina pública é insaciável, e em todas as esferas de poder Executivo e Legislativo do Brasil, a presença de gestores partidários sem a devida qualificação só agrava esse cenário.

 

Para piorar, agora vivemos a maior crise politico-econômica da história, sem previsão de ser revertida nem no médio prazo. Isso está levando os brasileiros e as empresas, a “apertarem o cinto”, pois a recessão é brutal, com o corte de um milhão de empregos formais só nesse ano. Já passei (e sobrevivi) a 17 crises, e juro que nunca vi nada igual. As pessoas estão assustadas, desconfiadas da capacidade do Governo em enfrentar essas adversidades, e indignadas com as crescentes denúncias de corrupção.

 

Já havia comentado com amigos, que algo precisava ser feito para reduzir o tamanho das Câmaras de Vereadores.  Também lá, é preciso “apertar o cinto”, assim como estão fazendo os contribuintes. Afinal, toda a sociedade tem de se ajustar a esse novo momento de dificuldades, cada um fazendo a sua parte em prol do todo. Algumas cidades já se mobilizaram, e conseguiram convencer os vereadores a reduzirem seus proventos, assim como as despesas com diárias e assessores (CCs).

 

Aqui em Santa Maria, a lei destina para a Câmara de Vereadores, 3% do orçamento.Isso projeta para o exercicio de 2016, um valor nada desprezível: 21 milhões de reais. Isso é: cada vereador vai custar 1 milhão de reais por ano aos contribuintes. Um valor, que acredito, demasiado. Já vejo movimentos na cidade, dispostos a reunir assinaturas em prol da redução dos salários dos vereadores. Mas acredito que deve ser uma ação mais ampla, pois é inconcebível que o nosso Legislativo tenha cerca de 150 funcionários (enquanto faltam concursados, sobram CCs).

 

Até os anos 80, os vereadores trabalhavam de forma voluntária. Claro que os tempos são outros, e as exigências da sociedade são muito maiores. Mas isso não quer dizer que os legislativos do Brasil possam abrigar afilhados partidários, e gastar com viagens e diárias que não se justificam. A sociedade exige que seus legisladores tenham consciência de que chegou a hora de mudar. Produzir (bem) mais, com (muito) menos.Penso que esse é o sentimento de 100% dos contribuintes. Se duvidarem, mandem pesquisar.

Please reload

Ultimas noticias

Bônus beneficia agricultores familiares de diversos estados

November 21, 2016

1/9
Please reload

Notícias Recentes
Please reload