Bioeconomia Brasil leva capacitação e inovação para agricultores familiares desde 2019



Lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em 2019, o programa Bioeconomia Brasil - Sociobiodiversidade comemora 2 anos com, uma média, de 90 mil agricultores familiares beneficiados anualmente, cerca de R$ 15 milhões investidos diretamente pelo Mapa e mais de R$ 100 milhões em integração com outras políticas direcionadas aos arranjos de bioeconomia para a agricultura familiar.

Sob a coordenação da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, foram desenvolvidas ações para estruturação de sistemas produtivos baseados no uso sustentável dos recursos da sociobiodiversidade e do extrativismo.

Por meio do programa federal, em 2019 e 2020, foram celebrados oito convênios com Consórcios Intermunicipais nos estados da Bahia, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. A iniciativa conta com R$ 5 milhões para a implementação do Roteiros da Sociobiodiversidade, que prevê a capacitação de agricultores e a gestão dos empreendimentos, agregação de valor aos produtos, resgate de saberes e da cultura alimentar e reconhecimento e valorização dos sistemas agrícolas tradicionais. A meta é atender mais de 14 mil pequenos produtores.

“O Bioeconomia Brasil - Sociobiodiversidade reafirmou o protagonismo do Mapa na formulação das políticas públicas que apoiam a inserção da agricultura familiar nos espaços de inovação e dinamização, sem perder o foco na produção sustentável em todos os biomas. Em poucas palavras, mais agricultores familiares estão inseridos na bioeconomia”, destaca o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, César Halum.

Ultimas noticias
Notícias Recentes