Como estão os preços do milho no Brasil?



No estado do Rio Grande do Sul não existe pressa para vender milho, os produtores do Estado buscam os R$ 100,00 por saca, de acordo com informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “Assim, os poucos lotes vindos do interior do Estado são de produtores que já não tem muita pressa em fazer negócios, e buscam ao menos R$ 100,00 FOB em negócios para o cereal. Indicações CIF Marau sobem para R$ 100,00 (+ R$ 2,00 por saca), de onde teriam saído negócios hoje; Arroio do Meio a R$ 97,00 no junho e Tapejara R$ 98,00 no maio”, indica.

Santa Catarina tem negócios no Oeste e Meio-Oeste com origem no Mato Grosso do Sul e Paraná. “A falta de lotes de origem do próprio Estado, de um lado porque estes já se encontram quase completamente comercializado, de outro porque há pouco interesse do produtor quando se ouve falar nas recentes altas, é motivo suficiente para que compradores de Santa Catarina concentrem esforços em lotes de outras localidades”, completa.

No Paraná foram vistos negócios a R$ 100,00 nos Campos Gerais, com preços balcão com altas de até 15,6% em um mês. “A comercialização hoje no Estado andou a passos lentos, e poucos lotes estavam disponíveis. Sabe-se que ao menos 1.000 toneladas foram realizadas nos Campos Gerais a R$ 100,00 FOB, em negócios semelhantes aos de sexta-feira (23/04). No norte central, compradores buscando lotes a R$ 102,00 e no Oeste, pequenos negócios foram vistos a R$ 97,00 com pagamento antecipado”, indica.

Em São Paulo o preço do milho estabilizou em R$ 98,00 em Campinas. “Com o milho sendo negociado acima de R$ 98,00/saca em Campinas/SP, o mercado interno segue sufocado pela baixa disponibilidade do cereal. Os riscos climáticos, que ameaçam a Safrinha, mantem os preços elevados, embora a isenção das importações possa limitar os ganhos futuros daqui para frente, principalmente com o dólar caindo, como nesta semana (-1,6%) e permanecendo baixo, como hoje”, conclui.

Ultimas noticias
Notícias Recentes