Como fica o tempo em junho, julho e agosto



O balanço mensal do levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra que em maio houve um aquecimento das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, indicando o fim da fase fria ou do fenêmeno La Niña, e consolidando o início de uma fase neutra.

A expectativa em relação a previsão de El Niño/La Niña apresenta probabilidade de 74% de continuidade do fenômeno La Niña no trimestre junho, julho e agosto de 2021. A fase de neutralidade tem alta probabilidade de se manter até setembro ou outubro.

Assim o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) traçou o clima para o trimeste junho/julho/agosto no país. Para a Região Sul, as previsões climáticas indicam que o trimestre deve ficar com chuvas dentro da faixa normal ou abaixo em praticamente toda a região. Há possibilidade de áreas com chuvas próximas ou acima da média no Rio Grande do Sul em junho.

As Regiões Centro-Oeste e Sudeste estão em seu período seco, e as previsões com probabilidades de chuvas abaixo da média apenas reforçam que o período deve ficar dentro da característica típica, com predomínio de áreas com pouca ou nenhuma precipitação. Os maiores volumes podem ocorrer no Rio de Janeiro e no Espírito Santo.

Nas Regiões Norte e Nordeste há o predomínio de áreas com probabilidade de chuvas na faixa normal ou acima da média no extremo-norte dessas regiões, entre Roraima e o Maranhão. No leste da Região Nordeste há significativa probabilidade de precipitação dentro da faixa normal ou acima durante o período. Mais detalhes sobre o prognósti

Ultimas noticias
Notícias Recentes