Estado monitora ocorrência de esporos da ferrugem asiática da soja



TALINE SCHNEIDER - EMATER/RS-ASCAR

Desde a safra passada, a Emater/RS-Ascar vem desenvolvendo um programa, em conjunto com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), e em parceria com diversas instituições e entidades de ensino e pesquisa, para o monitoramento da ocorrência de esporos de ferrugem asiática da soja, causada pelo fungo Phakopsorapachyrhizi, nas regiões produtoras do Rio Grande do Sul, como estratégia para o manejo da doença. O programa é coordenado pelo engenheiro agrônomo fiscal estadual agropecuário Ricardo Augusto Felicetti, pela doutora em fitopalogia da SEAPDR, Andreia Mara Rotta de Oliveira, e pelo engenheiro agrônomo e extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Elder Dal Prá. Segundo Dal Prá, o programa visa auxiliar na tomada de decisão e contribuir com a racionalização no uso de fungicidas, na redução do impacto ambiental e do custo de produção das lavouras de soja. “Além de integrar os dados obtidos no monitoramento de esporos com informações relativas às condições meteorológicas (precipitação pluvial, temperatura e molhamento foliar), que podem ser utilizadas para a escolha da melhor estratégia de manejo da ferrugem”. O programa é executado, nesta safra, por meio da instalação de coletores de esporos em 24 lavouras de soja de todo o Estado, georreferenciadas e caracterizadas como Unidades de Referência (URs) dos programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP) e Manejo Integrado de Doenças (MID). Na safra passada, os coletores foram instalados em 24 lavouras com o objetivo de realizar um estudo piloto de monitoramento da ocorrência de esporos nas regiões produtoras, as quais também serão base de referência nesta safra.

Ultimas noticias
Notícias Recentes