Maçã Fuji de São Joaquim tem suas características únicas reconhecidas pelo registro de Indicação Geo



Doces, redondas, bem vermelhas, suculentas e crocantes. Essas são características que permitiram à Maçã Fuji de São Joaquim, em Santa Catarina, receber o registro de Indicação Geográfica na categoria Denominação de Origem.

O local de cultivo das maçãs foi considerado essencial para que a fruta apresente os atributos mais procurados pelo consumidor. A área engloba os municípios de São Joaquim, Bom Jardim da Serra, Urupema, Urubici e Painel.

A Maçã Fuji apresenta alto grau de adaptabilidade às condições da região de São Joaquim, que apresenta altitudes de 1.100m e permite uma ocorrência de pelo menos 700 horas de temperaturas abaixo de 7,2°C no inverno.

O clima da região é apontado por produtores e técnicos agrícolas como o principal fator que torna as maçãs da região de São Joaquim tão especiais. “Nossa região se aproxima das características de clima temperado, com inverno característico. Com isso, a planta da macieira passa por todos os seus estágios fisiológicos (dormência, indução de brotação), de maneira mais natural possível, com florescimento ainda mais abundante”, explicou o técnico da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina Marlon Couto.

Com temperaturas mais amenas, a Maçã Fuji da Região de São Joaquim desenvolve-se mais lentamente, resultando em frutos de maior tamanho, mais arredondados, bem como em um menor percentual de frutos achatados ou deformados, além da presença de teores mais elevados de cálcio, que permitem períodos de armazenagem e abastecimento do mercado por mais tempo.

O frio que antecede a colheita também favorece a ocorrência do chamado pingo de mel, alteração fisiológica que deixa o fruto mais doce, além de proporcionar uma pigmentação vermelha mais intensa às cascas dos frutos.

Ultimas noticias
Notícias Recentes