Celulite nos frangos causa perdas econômicas de mais de 10 milhões de dólares no Brasil



Pesquisadores do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (DDPA/Seapdr) e da Embrapa Suínos e Aves divulgaram, por meio de um artigo técnico na revista Avicultura Industrial, os principais fatores de risco envolvidos na ocorrência da celulite em frangos de corte. Só as condenações dessas espécies nos abatedouros ultrapassam os 10 milhões de dólares, causando prejuízos econômicos à avicultura brasileira Estima-se que as perdas diretas e indiretas ultrapassem em oito vezes esse valor. Esse prejuízo à cadeia produtiva brasileira foi o que motivou os pesquisadores a determinarem os principais fatores de risco que promovem essa doença nas aves e proporem soluções para mitigar o problema aos produtores e técnicos do setor.

Conforme um dos pesquisadores responsáveis pelo artigo, o médico veterinário e doutor em Microbiologia, Benito Guimarães de Brito, o estudo relatou que a Escherichia coli é a bactéria geralmente envolvida nessa doença e que determinados clones dessa bactéria têm maior capacidade de promover a lesão nos frangos. “Por isso, medidas que reduzam a ocorrência dessa bactéria são de extrema importância para o controle da doença nas criações”, explica.

Ultimas noticias
Notícias Recentes