Pesquisadores da Seapdr divulgam trabalhos realizados com oliveiras



Pesquisadores da área de olivicultura do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (DDPA/Seapdr) participaram da 10ª Abertura Oficial da Colheita da Oliva, que ocorreu na última sexta-feira (4/3), na Estância das Oliveiras, em Viamão. Eles divulgaram pesquisas realizadas pelo DDPA, que vêm sendo desenvolvidas desde 2015.

Pesquisadores participam da 10ª Abertura Oficial da Colheita da Oliva. Foto: Divulgação/Seapdr

Também foram apresentados os resultados parciais da pesquisa realizada em parceria com a Emater/RS-Ascar em 2020/2021, cujo objetivo foi obter informações sobre aspectos fitossanitários e nutricionais de olivais localizados em diferentes regiões do Estado, principalmente Depressão Central, Campanha e Serra do Sudeste.

“Queríamos identificar os principais desafios enfrentados pelos olivicultores para nortear ações de pesquisa e extensão para o setor olivícola do Rio Grande do Sul”, explica a pesquisadora do DDPA, Andréia Rotta de Oliveira. Ela conta que os resultados preliminares dos 36 olivais investigados na pesquisa apontam a antracnose, o repilo (olho de pavão) e a cercosporiose (emplumado) como as doenças mais frequentemente observadas. “E a lagarta, as formigas e as cochonilhas são as pragas mais presentes nos olivais”.

Conforme o estudo, as análises nutricionais do cálcio e do nitrogênio apontaram que 41% das amostras analisadas apresentaram teores foliares de nitrogênio abaixo do nível adequado. “No entanto, a adubação nitrogenada deve ser administrada com cuidado em oliveira, porque pode haver estímulo ao crescimento vegetativo e à redução do florescimento e frutificação”, esclarece o também pesquisador do DDPA, Bruno Lisboa.


Ultimas noticias
Notícias Recentes